Pular para o conteúdo

23 de janeiro de 2016

1

Julio Granda conquista Florianópolis

por marcelopomar

O Grande Mestre peruano Julio Ernesto Granda Zuniga (2683) confirmou seu favoritismo e venceu de maneira contundente o II Floripa Chess Open, ao fazer 8,5 pontos nas dez rodadas disputadas. Granda cedeu empates aos Grandes Mestres Everaldo Matsuura e Axel Bachmann, e ao MI Diego di Berardino, derrotou todos os demais adversários e assegurou um prêmio de R$4.000,00.

granda-open

Julio Granda, grande campeão, muito próximo dos 2700!

Destaque para sua vitória sobre o MI Luis Paulo Supi, pela sétima rodada, quando se encontrava de pretas, meio ponto atrás, e para a vitória na rodada seguinte sobre o fortíssimo GM paraguaio Neuris Delgado (2609) – duas vitórias que encaminharam suas chances de título, muito bem administradas até o final do torneio.

granda-neurisii-open

Julio e Neuris, GM’s em analise post mortem

Coincidiu com essa virada no torneio a organização de um futebol amistoso realizado na quadra poliesportiva do Lira Tênis Clube. Grande adepto de esportes em geral – do futebol e do tênis em particular -, Julio Granda, que parecia um pouco desanimado até então, passou a desenvolver uma postura mais enérgica. Além de tudo, fez uma boa performance nas partidas de futebol.

O segundo lugar ficou com o GM cubano, naturalizado paraguaio, Neuris Delgado, que liderou o grupo de sete jogadores que chegaram a 8,0/10. O melhor brasileiro foi o GM paulista Felipe El Debs, que completou o pódio. A lista de premiados até o décimo lugar conta com a presença de jogadores de seis países, abarcando uma boa quantidade dos países representados, com as presenças marcantes do mestres internacionais Leandro Perdomo, da Argentina, do sérvio Dragan Stamenkovic e do russo Alexei Slavin.

Captura de Tela 2016-01-23 às 22.03.53

Classificação Final do II Floripa Open

Entre as mulheres, a vitória do certame ficou com a WMF paraguaia Gabriela Vargas, seguida de Ayelen Martinez, da argentina, e da WMF brasileira Julia Alboredo. Premiaram ainda Ana Vitória Rotherbarth e Thauane Medeiros que, com os pontos conquistados em Floripa – terra onde despontou para o xadrez –, chega pela primeira vez ao top 10 da lista de enxadristas brasileiras.

thau-open

Vista do Salão com destaque para a enxadrista Thauane Medeiros

Confira aqui o resultado FINAL

Floripa distribuiu normas

É possível contar nos dedos de uma mão a quantidade de torneios abertos no Brasil que tiveram a capacidade de produzir normas. Encontramos alguns poucos exemplos nos gloriosos tempos da “Copa Itaú” e do Aberto de Registro. É uma satisfação enorme rever torneios de grande envergadura no Brasil pois, graças à quantidade de fortes jogadores estrangeiros, criam as condições para que profissionais do xadrez brasileiro possam ascender. Nessa edição de 2016 alguns desses profissionais conquistaram normas, entre eles cinco árbitros (Luciano Justi, Alexandre Lima, Elana Souza, Krish Caballero e José Manuel Cruz Pereira), e dois jogadores: Álvaro Aranha, de MI, e Luis Paulo Supi, de GM.

salao-open

Vista do Salão Ônix do Lira Tênis Clube, em Florianópolis

Álvaro Aranha, norma de Mestre Internacional

Álvaro atingiu a norma em nove rodadas após vencer, com pretas, o GM uruguaio Andres Rodriguez – grande campeão da primeira edição do Floripa Chess Open e do Floripa Masters, em 2015. A carimbada de faixa rendeu ao MF paulista sua primeira norma de Mestre Internacional e sua performance de 2386 ao final do evento lhe assegurou +31,4 de rating ELO.

alvaronorma-opne

MF Álvaro Aranha nos momentos decisivos da partida que lhe deu a norma de MI

Performance de Grande Mestre rende primeira norma a Supi

Todo mundo no Brasil sabe da força e da capacidade do jovem Mestre Internacional Luis Paulo Supi, de Catanduva (SP), mas o que ele fez até a sexta rodada da segunda edição do Floripa Chess Open foi algo realmente extraordinário.

supi-open

Supi conquista vitória com pretas contra El Debs

Invicto com seis vitórias em seis partidas – a quinta e a sexta com as pretas contra os GM’s Felipe El Debs e Andrés Rodriguez – Supi desbancou alguns dos favoritos do evento, despontando como líder isolado a quatro rodadas do fim. Naturalmente, os maiores desafios ainda estavam pela frente – a começar pela tarefa indigesta, na sétima rodada, de enfrentar o lendário GM Julio Granda.

supi-granda

Grande concentração de Supi, um de seus pontos fortes.

Sua partida com Granda lhe rendeu elogios do peruano pela postura ousada e agressiva. Não passou à cabeça de Supi a ideia de jogar sentado nas peças, segurando um possível empate: jogou de maneira contundente, lutando pela vitória.

carneiro-open

Carneiro bateu na trave pela norma de MI

Outro jovem talento brasileiro que esteve muito próximo de uma norma foi o CM paulista Vitor Roberto Carneiro Castro, campeão brasileiro sub-18, que joga pela cidade catarinense de Jaraguá do Sul. Carneiro bateu na trave, em função de uma derrota precoce na segunda rodada para o jovem e sempre perigoso Ruan Gonçalves, de Fraiburgo. Depois dessa derrota, desenvolveu uma performance de altíssimo nível, inclusive vencendo o GM Axel Bachmann na última rodada, após um deslize incrível do paraguaio, com apenas dez lances. Infelizmente, mesmo com as correções de cálculo que são possíveis à arbitragem, a norma de Carneiro não saiu por décimos.

Krikor, um destaque de fair play

Sobre Krikor Mekhitarian cabe uma nota especial. Krikor consagrou-se bicampeão brasileiro absoluto de xadrez, na manhã do domingo 17/01, na cidade do Rio de Janeiro. Logo após o almoço, embarcou em voo para Florianópolis e chegou no aeroporto perto das 19h para enfrentar um adversário às 20h, pela 3ª rodada do Floripa Open. Além de demonstrar uma grande fome pelo xadrez, Krikor demonstrou profissionalismo, respeito e amor pelo xadrez, valorizando o evento em Florianópolis, apesar das dificuldades logísticas que envolviam sua participação.

krikor-open

Krikor em sua partida contra o MI uruguaio Luis Rodi

Sem vaidades, trouxe na bagagem o troféu e se inseriu na competição um ponto atrás de seus principais concorrentes. Venceu cinco partidas seguidas, jogou as 11 rodadas (!) de torneio de Blitz, e acabou patinando nas rodadas finais, muito em função do enorme cansaço dessa maratona. Não precisava de nada disso, mas ao contrário do que se poderia pensar, sua decisão de participar do Floripa Open em nada desgasta sua imagem – muito pelo contrário, fortalece ela, e deixa a todos e excelente impressão de nosso título maior está em ótimas mãos. Parabéns, Krikor!

Krikoropen

Krikor com seu troféu de Campeão Brasileiro 2015

Floripa Super Blitz – Axel Bachmann, soberbo!

O torneio de Blitz do Floripa Open foi uma festa a parte para os aficionados. Com a adesão de 74 jogadores, o evento foi um suíço em 11 rodadas, válido para o rating internacional, e distribuiu R$ 2.000,00 em prêmios.

axel-blitz

Bachmann e Di Berardino, pelo Floripa Super Blitz

O destaque maior foi, sem dúvida, o GM paraguaio Axel Bachmann. Pontualmente às 14h, a organização acionou os relógios da primeira rodada, o que acabou fazendo com que Axel, que apareceu no salão ônix do Lira Tênis Clube cinco minutos atrasado, perdesse por w.o. para Cledemar Pereira. Foi sua única derrota. Nas nove partidas seguintes Axel teve um sprint impressionante de nove vitórias, entre elas sobre os GMs Krikor Mekhitarian e Neuris Delgado. Empatou a última rodada, quando já era campeão, com uma rodada de antecedência! Algo realmente espantoso.

Captura de Tela 2016-01-23 às 23.06.58

Classificação Final do Floripa Super Blitz 2016

O segundo lugar ficou com o sempre forte e conhecido jogador de partidas relâmpago MI Alejandro Martinez, que veio de Campinas (SP) apenas para disputar a modalide. Martinez foi o único com 8,5/11, vencendo Neuris Delgado na ultima rodada, com as pretas. Completou o pódio o MI Renato Quintilano, com 8/11 e melhor desempate que Diego Di Berardino, José Cubas e Leandro Perdomo.

martinez-neuris-blitz

Martinez derrota Neuris, sob os olhares atentos de Mandetta, Di Bera e Trois

Destaques também para os jovens André Jordi Wolkman, de Jaraguá do Sul, com impressionantes 7,5/11, e para Gabriela Feller, de Blumenau, que com apenas 12 anos fez 5,5/11 e uma somatória de +183 de rating FIDE.

jordi-blitz-open

Jordi Wolkman jogando entre mestres!

Encerrando a maratona do Floripa Open 2016

E assim se encerrou a maratona de 10 rodadas em sete dias. Houve praia, houve festa, futebol, e muito xadrez. Houve erros tremendos, sobretudo na reta final, em que ficou comprovado que o controle emocional e o condicionamento físico realmente jogam muito peso nesse esporte. Na média o que prevaleceu foram muitos elogios a essa segunda edição do Floripa Chess Open, que naturalmente pode melhorar para a próxima.

Agora se inicia outra maratona: a dos torneios fechados de norma, que começaram no dia 23 de janeiro, na sede do Clube de Xadrez de Florianópolis. Segue a torcida para novas normas de brasileiros, e a esperança que os eventos em Florianópolis possam ter contribuído para o desenvolvimento do xadrez sul-americano.

Que venha o Floripa Open 2017!

criancas-open

Futuro do Xadrez brasileiro presente ao II Floripa Chess Open 2016

Palavras de Granda sobre o Open no Facebook

“Luego de haber quedado segundo en cuatro torneos seguidos, es una satisfacción especial volver a ganar uno aquí en Florianópolis, Brasil, donde me han tratado muy bien y el evento ha sido un éxito en todo sentido, destacando la impecable organización y la masiva asistencia de entusiastas ajedrecistas de diferentes lugares de Brasil y países vecinos como Uruguay, Argentina, Paraguay, Ecuador, Perú y hasta la visita de un maestro internacional ruso. Ahora necesito desconectar un tiempo de ajedrez y recuperarme físicamente para intentar ganar otros en lo que resta del año. Gracias a los que con su aliento y seguimiento aportan esa energía positiva. Un cordial saludo a todos”

equipe-open2

Equipe que realizou o II Floripa Chess Open 2016

Fotos: Nira Pomar

 

 

 

 

 

 

Anúncios
Leia mais de Floripa Chess Open
1 Comentário Comente
  1. Paulo Lopes da Luz
    jan 30 2016

    Olá gente. Estive em Florianópolis, dia 19/01, para o aniversário de um familiar e aproveitei para uma breve passada no II Floripa Chess Open, além de ter tido a oportunidade de conhecer um pouquinho do Lira Tenis Clube. Parabéns a todos os envolvidos com a organização e equipe de arbitragem, além é claro, de todos os enxadristas; grande parte vindos de tão longe. Um grandioso evento que desejo sucesso ainda maior para os próximos anos. Continuo olhando, aqui, algumas partidas pelo Chess Results. Obrigado pela oportunidade deste comentário e, tenham todos um ótimo ano, com boa saúde e novas realizações. Assim Seja ! Abraços.
    Paulo Lopes (59_Porto Alegre. RS)

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Observação: HTML é permitido. Seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Assinar os comentários

%d blogueiros gostam disto: