Pular para o conteúdo

27 de maio de 2015

América de Mareco!

por danielmariani

Sandro Mareco faz 5.0/6 na segunda metade e conquista as Américas! Brasileiros terminam longe das vagas e sem normas. As coisas iam muito bem para Jorge Cori. O prodígio peruano liderou isolado após a vitória contra Axel Bachmann  e se recuperou bem da derrota contra Lenderman, retomando a liderança com vitórias sobre os norte-americanos Shabalov e Hansen. Na penúltima rodada, liderando por meio ponto, teve as brancas. Mas era dia de Mareco.

marecos

Campeão das Américas!

Embalado por vitórias contra Diego Di Berardino e Cristobal Villagra, Mareco quebrou a catalã de Cori para assumir a liderança na reta final do torneio. O empate contra Diego Flores na última rodada o levou a 8.5/11 com melhor desempate que o cubano Quesada Perez, sagrando-se campeão do Continental das Américas.

As vagas para a Copa do Mundo ficaram com os GMs Quesada Perez (que classificou direto), Eduardo Iturrizaga, Federico Pérez Ponsa e Anton Kovalyov, que foram melhores no desempate em rápidas. Mareco, Julio Granda e Jorge Cori já tinham vagas de torneios anteriores e não tomaram parte na disputa das vagas.

dibera

Di Berardino foi o melhor brasileiro na competição

Os brasileiros não conseguiram manter o ritmo na segunda metade do torneio. Yago, que chegou a liderar isolado na 4ª rodada, fez apenas 1.5 nas 7 rodadas restantes. As derrotas nas duas últimas rodadas o empurraram para a 70ª classificação, mas Yago não perdeu rating. O aproveitamento de 50% contra os 6 GMs que enfrentou equilibrou a balança. Di Berardino obteve resultados expressivos, como a vitória sobre o GM Iturrizaga na 6ª rodada, e se manteve a meio ponto dos líderes até a 9ª, quando enfrentou Mareco em sua disparada para o título. A derrota contra o GM Carlos Hevia Alejano na sequência o derrubou das primeiras mesas e mesmo com a vitória na última rodada Di Bera terminou a 1 ponto da disputa pelas vagas. Krikor teve um bom torneio, mas as derrotas contra Shabalov e Deysi Cori o tiraram do páreo. Evandro Amorim e Silvio Cunha fizeram 2.5/3 na reta final e também terminaram com 7 pontos. Um dos grandes ganhadores entre os brasileiros foi o estreante em continentais Bruno Starke. O catarinense acumulou quase 46 pontos de rating no caminho até os 6.0/11, vencendo a WGM peruana Deysi Cori e empatando contra outros 3 mestres.

stark

Bruno Starke em performance magistral

A classificação final demonstra o espaço que o Brasil ocupa no xadrez das Américas. A ausência de Leitão e Fier (que já tem vagas para a Copa do Mundo) e de outros nomes como Milos e Matsuura certamente contribuiu para que não houvesse brasileiros entre os 20 primeiros colocados. Ainda que um torneio, isoladamente, não seja suficiente para avaliar a questão, uma breve comparação com os Argentinos (que emplacaram 5 entre os 10 primeiros colocados) revela que não vamos muito bem. Somos o 32º país no ranking da FIDE (nº 4 das Américas) enquanto os hermanos ocupam a 30ª posição, porém eles tem quase o dobro de GMs em atividade (7 contra 13) e muito mais MIs. Em comparação com os cubanos (nº 18 no mundo), que dispõem de apoio estatal ao xadrez e escolas especializadas, perdemos de lavada: há muito mais jogadores titulados e seu nº 1, Leinier Dominguez, figura entre os top 30 do mundo – enquanto os nossos ainda lutam para entrar no top 100.

As partidas do Continental podem ser visualizadas e baixadas aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Observação: HTML é permitido. Seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Assinar os comentários

%d blogueiros gostam disto: