Pular para o conteúdo

29 de março de 2015

Blitz com o novo Mestre Internacional Renato Quintiliano

por marcelopomar

Ele ainda não foi oficialmente declarado pela FIDE, mas já reúne todos os pré-requisitos para a titulação vitalícia que é uma das maiores honrarias do xadrez profissional. E Renato conversou sobre isso com a Xadrez do Brasil.

 

Renato Quintiliano  será o 42º brasileiro a atingir o título de Mestre Internacional. Onze deles chegaram posteriormente a titulação máxima de Grande Mestres.

XDB: Renato, inicialmente nossos parabéns da equipe Xadrez do Brasil por essa extraordinária conquista. Você entra num seleto grupo de três dezenas de jogadores brasileiros, num caminho aberto há muitos anos atrás por jogadores da estatura de Eugênio German. Como você está se sentindo? A ficha caiu?

Bom, então, é  tô bem feliz com essa conquista. Já fazem dois anos que eu consegui o título de Mestre FIDE, e que eu venho as normas e o rating, a gente sabe que as vezes acaba dando uns passos pra trás no meio do caminho, mas acho que sempre no longo prazo se dedicando os resultados chegam, então fiquei bem feliz. Talvez eu não esperava que viesse tudo assim de uma vez, como vieram as minhas duas últimas normas em tão pouco, mas também não estou tão surpreso surpreso, me dediquei bastante pra isso. Fiquei feliz de ter conseguido assim, logo no começo desse ano.

 quinti

XDB: Desse torneio na Copa Latina de 2015, que lhe garantiu a norma definitiva, qual partida você considera a mais significativa, ou que lhe causou maiores emoções?

A partida que foi mais emocionante assim foi contra o Krikor mesmo, na séitima rodada. A partida em si é  muito complicada, e no momento ali a gente tinha pouco tempo pra encontrar táticas e lances numa posição muito complicada para os dois lados. Mas a partida que eu mais gostei mesmo foi contra o Morovic (GM Ivan Morovic, CHI, 2568), porque é um jogador muito famoso, faz parte da história do xadrez sul-americano, poder empatar, e dizer que minha última norma foi num torneio que tinha um cara do calibre do Morovic jogando.

Quintiliano enfrenta o ídolo Morovic. Tablas

Quintiliano enfrenta o ídolo Morovic. Tablas

Krikor - Quintiliano, fogo no tabuleiro pela 7ª rodada

Krikor – Quintiliano, fogo no tabuleiro pela 7ª rodada

XDB: Foi nela que você sentiu que vinha a norma?

Olha, pra ser sincero, em nenhum momento durante o torneio cheguei a pensar na norma. Quando joguei com o Morovic eu percebi que já tinha pegado as bandeiras, faltava só a performance, mas durante as partidas esse foi um pensamento que não me ocorreu. Eu acabava pensando só no jogo mesmo, tanto que na oitava rodada, na partida contra o Perez-Ponsa (GM argentino, 2540), que foi a da norma, porque depois eu podia perder até a última, mesmo assim não estava pensando nisso. Estava só tentando jogar meu melhor. Tentei não me concentrar nisso porque poderia ser um pouco prejudicial.

quinti-partida-norma

Quintiliano na partida que lhe garantiu a norma, observando o GM Diego Flores (ARG)

XDB: Nessa tua caminhada, você sente que teve apoio dos dirigentes das federações, ou confederação brasileira de xadrez. Em que medida os cartolas contribuíram para essa conquista?

Eu não posso dizer que tive algum apoio de Federação ou Confederação oficialmente, porque isso é uma coisa bem rara aqui no Brasil. Não vejo muitos jogadores recebendo ajuda pra jogar torneios fora, ou mesmo organização de torneios assim aqui  no Brasil. A maioria desses torneios que joguei ao longo dos anos foi por minha conta e com incentivo mais da minha família e dos meus amigos. Não tive nenhum patrocínio dou algo do tipo, e acho que faltam algumas oportunidades para muitos jogadores no Brasil que gostariam de melhorar e conseguir novos títulos.  

Quintiliano exibe sua norma definitiva de MI, ao lado de Molina que conquistou a segunda de GM

Quintiliano exibe sua norma definitiva de MI, ao lado de Molina que conquistou a segunda de GM

XDB: Quais são suas novas metas no xadrez? Pensa em conquistar uma vaga para a equipe olímpica brasileira? Esse é um sonho?

Acho que esse é um sonho de praticamente todo enxadrista brasileiro. Seria uma coisa muito legal. Mas é uma coisa para um longo prazo ainda. Tenho muita coisa pra melhorar no meu jogo. Que eu tenho que corrigir e fortalecer um pouco, pra poder continuar tentando crescer, poder buscar as normas de GM e tentar ser GM um dia. Ainda é um chão longo pela frente. Então agora eu quero continuar estudando e me dedicando, e tentar subir um pouco mais, melhorar um pouco mais meu xadrez antes de pensar em objetivos maiores como esse.

Recebendo prêmio no Sesi Mogi das Cruzes (SP)

Recebendo prêmio no Sesi Mogi das Cruzes (SP)

XDB: De certa forma isso é o que você já vinha fazendo. Quais são os primeiros passos para essas novas metas? Pensa em jogar na Europa?

Sim, pretendo poder fazer alguma vigem pra Europa em breve, jogar uns torneios abertos fortes, quero jogar o Continental, pretendo a partir de agora jogar uns torneios mais fortes, e com mais jogadores onde eu possa melhorar minhas partidas, mas eu sinto que ainda preciso melhorar um pouco meu joga pra poder conseguir fazer uma norma de GM, ou chegar mais próximo disso. Então por enquanto o objetivo mesmo é continuar melhorando, e o resto é uma consequência.  

quinti

XDB: Viajando e competindo de maneira profissional também em outros países, como você avalia o desenvolvimento do xadrez brasileiro e situação política do xadrez brasileiro?

De um modo geral a organização de torneios no Brasil tem melhorado um pouco. Acho que tem contribuído bastante para o desenvolvimento dos jogadores aqui, movimentação de rating, e alguns bons torneios tem aparecido com condições que ajudam a motivar o pessoal pra jogar, como em janeiro a gente teve o I Floripa Chess Masters, que é um torneio de norma de GM, que é uma coisa muito rara aqui no Brasil, e acaba dando oportunidade para os jogadores jovens que sãos MF’s e MI’s poderem tentar fazer uma norma e seguir nesse caminho que é difícil. E eu acho que isso tende a melhorar um pouco. A gente tem que progredir mais, mas tem boas perspectivas para o xadrez brasileiro a longo prazo.   

Quintiliano entre feras no pódio do Floripa Chess Open 2015

Quintiliano entre feras no pódio do Floripa Chess Open 2015

 

XDB: E sobre a situação política do Brasil, você tem opinião sobre esse momento?

Independente do momento em que as opiniões sejam diferentes entre as pessoas, todo governo ou toda proposta tem pontos positivos e negativos, e a normal as pessoas discordarem umas das outras, e o importante é a gente pensar no que pode ser melhor pra todo mundo. 

Durante o XVII IRT da Hebraica, onde foi campeão

Durante o XVII IRT da Hebraica, onde foi campeão

Seta subindo

Um ídolo no xadrez?

Karpov

Tal ou Botvinik?

Tal

Filosofia ou Matemática?

Matemática

Abertos do Brasil ou Jogos Abertos?

Abertos do Brasil

Um grande mestre brasileiro extraordinário?

Giovanni Vescovi.

Jogando ao lado de um GM extraordinário, Vescovi, nos Abertos do Interior (SP)

Jogando ao lado de um GM extraordinário, Vescovi, nos Abertos do Interior (SP)

XDB: Forte abraço, muito obrigado e muito sucesso no seu caminho!

Eu que agradeço pela oportunidade de falar sobre xadrez!

ostenta

Comemorando a norma definitiva em Buenos Aires, 2015!

Anúncios
Leia mais de Blitz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Observação: HTML é permitido. Seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Assinar os comentários

%d blogueiros gostam disto: